Marguerite Duras e o estranho ofício de escrever

Imagem/reprodução


Inverno

A pedra que, quando aberta, brilhava como uma estrela. Talvez das últimas daquela cidade escura. Ainda vamos acreditar que exista outra, eu quero acreditar que ela volte a brilhar.

Paradeira

Uma amiga quebrou o pé e deixou a bicicleta largada por meses num canto. Quando o pé finalmente se recompôs, ela foi rever a bicicleta e não pôde andar. A bicicleta estava parada, mas tinha um bocado de coisa em movimento nela.

[tradução] Guilherme Gontijo Flores fala sobre “Pantagruel e Gargântua”

como escritor é que eu me vejo tradutor, de fato; como alguém que escreve, ou reescreve, um texto agora, assumindo a responsabilidade de uma escrita. Bruno Pernambuco Guilherme Gontijo Flores, tradutor, professor universitário de latim e poeta, autor de livros como carvão::capim (2018) e Potlatch (2022), traduziu, em 2021, Pantagruel e Gargântua, compêndio de romances … Continue lendo [tradução] Guilherme Gontijo Flores fala sobre “Pantagruel e Gargântua”


  • Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.